Escrevo este manifesto para demonstrar que se podem realizar acções opostas, ao mesmo tempo, num único e fresco movimento. Sou contra a acção; e em relação à contradição conceptual, e à sua afirmação também, não sou contra nem a favor.


Pedro Marques @ 02:41

Qua, 07/07/10

Depois de ver Addendum de Peter Joseph (pela segunda vez), a continuação de Zeitgeist, não podia ficar indiferente ao filme e não deixar pelo menos aqui alguns pensamentos.

O filme de duas horas analisa toda a nossa sociedade, começando pelo desmantelamento das nossas instituições: legais, financeiras, poílticas, reiligiosas. Escalpeliza o nosso sistema monetário criado com base em diversas fraudes. O endividamento e inflação crescentes apoiados no Federal Bank dos Estados Unidos e as suas instituições irmãs: o Banco Mundial e o FMI que parasitam todo o nosso mundo com um único objectivo: o lucro.

Segundo, revela-nos aquilo que é um "economic hit man". Ou seja, um assassino económico. Em ideias gerais: aqueles tipos que o governo dos Estados Unidos manda para os países com alguns recursos, como o petróleo, por exemplo, para de seguida os convencer de um empréstimo, que acaba por não beneficiar esses países, porque o dinheiro vai para as grandes corporações e empresas norte-americanas que constroem as infra-estruturas. O país acaba por ficar com uma enorme dívida que não consegue pagar. De seguida os americanos entram e dizem, "olhem, vocês têm uma dívida que não conseguem pagar, por isso, vendam-nos o petróleo abaixo do preço de mercado, ou, deixem-nos construir uma base militar, mandem tropas para nos apoiar acolá, ou, apoiem-nos numa resolução da ONU, ou, privatizem o vosso sistema de esgotos, ou água, ou electricidade, etc.

John Perkins, um "economic hit-man" revela-nos os segredos das acções em 1953 no Irão, em 1954 na Guatemala, os assassinatos da CIA no Equador e no Panamá em 1981, conta-nos a história de Chaves na Venezuela e de como os EUA não o conseguiram derrubar apesar de terem chegado a encenar um golpe de estado pagando a milhares de pessoas para irem para a rua. E desde os anos 90 com Saddam Hussein e a sua teimosia que não o deixava corromper-se até ao World Trade Center que precipitou a sua queda.

É uma questão de tempo até as coisas virarem. O capitalismo está a comer-se por dentro. A única maneira de pagar as dívidas é pedindo mais dinheiro e com isso originar mais dívidas, o capitalismo é um beco sem saída que vai bater com toda a força na parede das suas iniquidades.

Todas estas histórias para demonstrar que se não quisermos sucumbir a um sistema monetário, financeiro e económico baseado na ganância, lucro e injustiça (que não são atributos da natureza humana e sim comportamentos da natureza humana que os humanos mimetizam através da sociedade gananciosa e injusta em que vivem), devemos fazer 3 coisas:

1 - Boicotar os três principais bancos do cartel dos EUA ligados ao Federal Bank: Citybank, JP Morgan Chase e Bank Of America. Se tiver dinheiro nestas instituições, retire-o e deposite noutro banco. Se tiver acções deles, venda-as. Se trabalha para eles, demita-se.

2 - Desligar a televisão: CNN, NBC, ABC, FOX, e em Portugal RTP, SIC e TVI, são agências a soldo das corporações. Não são objectivas e independentes. Use a partir de agora as agências de notícias independentes que estão a nascer na www, proteja e defenda a internet sempre.

3 - Não se aliste nem deixe que ninguém se aliste em instituições militares. São instituições obsoletas que não têm qualquer relevância nos dias de hoje.

4 - Desligue-se das energias normais. Pesquise todas as energias alternativas e tente fazer com que a sua casa se torne sustentável. Procure carros híbridos ou eléctricos.

5 - Rejeite o sistema político. A democracia é um atentado à nossa inteligência. Nunca houve nem poderá haver verdadeira democracia num sistema monetário baseado no lucro.

6 - Join the movement.

Acreditem que a revolução é possível. Não a revolução vermelha, comunista ou socialista. A verdadeira revolução. Aquela que não tem dono nem chefe. A revolução verde. A verdadeira utopia que assenta na crença de que a tecnologia e aquilo que nós fazemos com ela (a verdadeira extensão das capacidades dos seres humanos) pode mudar o mundo.

Temos fontes de energias renováveis perenes: o sol, o vento, as marés, a energia geotérmica. Os transportes - comboios em vácuo e automóveis electricos. O trabalho que pode ser feito em cerca de 90% por máquinas. Se há alguma coisa que vemos na evolução do homem foi o sistemático aperfeiçoamento das suas capacidades - a tecnologia. Aquilo que nos vendem, que se não houver trabalho as pessoas se deitam a não fazer nada, é pura e simplesmente mentira. Há muita coisa para fazer na vida do que ficar escravizado a um emprego porque se tem de pagar a hipoteca. Fujam disso!

Acompanhem também The Venus Project - Para além da política, guerra e pobreza.



Pedro Marques @ 15:36

Qua, 07/07/10

 

Tens? Empresta-me.

PoL @ 18:57

Dom, 11/07/10

 

tenho. de momento está emprestado... quando regressar a casa, empresto-te.

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.