Escrevo este manifesto para demonstrar que se podem realizar acções opostas, ao mesmo tempo, num único e fresco movimento. Sou contra a acção; e em relação à contradição conceptual, e à sua afirmação também, não sou contra nem a favor.


Pedro Marques @ 02:22

Qua, 03/03/10

No passado dia 24 de Fevereiro Dawn Brancheau de 40 anos, morreu dentro da boca da orca Tilikum no Sea World. Era a sua treinadora.

Algumas testemunhas dizem que ela esteve 10m, outras 30m, na enorme boca da sua companheira de brincadeiras antes de morrer por afogamento e vários ferimentos.

As imagens à disposição no youtube são impressionantes, mas não posso deixar de pensar que a primeira pessoa a "desculpar" a orca seria a sua treinadora. Ela e talvez o G. Orwell de A Quinta dos Animais.

Belos animais estes. Nós, os humanos, gostamos de os ter em cativeiro, para os podermos admirar, para podermos fazer dinheiro com eles, para divertir plateias, esquecendo-nos de como somos pequenos, risíveis ao lado destes majestosos seres. Eu nunca vi uma orca à minha frente, mas se visse acho que lhe fazia uma vénia pela beleza que exibe, pela inteligência que demonstra por todos esses parques aquáticos pelo mundo fora, pelo seu mistério insondável que não se deixa explicar. Se ao menos conseguíssemos respeitar estes animais tal como eles o fazem connosco...

Também são conhecidas por baleias assassinas. Que nome tão infeliz e injusto. Acho que se deviam chamar "belas baleias a preto e branco". É isso que realmente são. Adoro os seus dorsos lisos e o modo como parecem sorrir quando nos cumprimentam.

Talvez a Dawn também partilhasse deste fascínio. Morreu por ele. Não consigo imaginar melhor maneira que morrer nas mandíbulas de quem se ama.


Tags: